Novos Horizontes FM

Notícias/Música


10/10/2019

Iron Maiden leva os fãs gaúchos ao êxtase em show em Porto Alegre

Iron Maiden leva os fãs gaúchos ao êxtase em show em Porto Alegre

Depois de ter agitado o palco do Rock in Rio na sexta-feira passada, e o Morumbi, no domingo, o Iron Maiden levou os fãs do Sul do País ao êxtase, com uma apresentação espetacular na noite desta quarta-feira na Arena do Grêmio - e não foi para menos. Os músicos da Donzela de Ferro são super exigentes com eles mesmos, e em 1h55min de apresentação desfilaram clássicos de quase todos os 44 anos de carreira para mais de 40 mil pessoas. A turnê atual, "Legacy of the Beast", está divulgando o game de mesmo nome lançado pela banda.

A abertura do show ficou a cargo dos gaúchos da Rage in My Eyes, divulgando em uma apresentação curta, mas competente, o seu novo trabalho, o disco "Ice Cell". Depois, vieram os britânicos do The Raven Age - aí a galera já estava impaciente, querendo que chegasse logo às 21h, e o Iron Maiden adentrasse o palco.

Então as luzes se apagaram e começou a tocar nos alto-falantes a clássica "Doctor, Doctor", do disco "Phenomenon" (1974), da banda UFO. Era a senha para a entrada triunfal de Bruce Dickinson (vocal), Steve Harris (baixo), Dave Murray, Adrian Smith e Janick Gers (guitarras) e Nicko McBrain (bateria), que atacaram logo de cara com "Aces High", do "Powerslave" (1984), com direito a avião da Segunda Guerra no palco.

Aos 61 anos, Bruce é incansável como frontman. Corre, canta, troca o figurino, duela com o mascote Eddie, brinca com a plateia. E isso que há apenas quatro anos, ele teve um câncer na garganta. Além de "Powerslave", os discos mais privilegiados na apresentação foram o "Piece of Mind" (1983), que teve músicas como "Where Eagles Dare", "Revelations", "Flight of Icarus" e "The Trooper" (pena que a banda não tocou a minha favorita, "To Tame a Land"), "The Number of the Beast" (1982), "Fear of the Dark" (1992), que arregimentou uma nova geração de ironmaniacos, com seu refrão grudento.

O Iron Maiden ainda tocou duas da fase que contou com Blaze Bayley nos vocais, entre 1993 e 1998 ("Sign of the Cross" e "The Clansman"). E sobre tocar: você assiste ao show do Iron Maiden, e tem a impressão de estar escutando os discos de estúdio, de tão perfeitas que são executadas as canções. O final foi com "Run to the Hills", e eu não queria que terminasse. Aguentaria tranquilo mais umas duas horas. E pensar que a banda já visualiza em seu futuro próximo a aposentadoria - o batera Nicko McBrain já está com 67 anos, e os demais integrantes também já passaram dos 60 anos!!! Vamos ficar órfãos.

Fonte: Correio do Povo 

Mais Lidas

Notícias Quentes

Vídeo