Novos Horizontes FM

Notícias/Rural


12/06/2019

Catuípe tem ação do Programa Gaúcho para a Qualidade e Valorização da Erva-mate

Catuípe tem ação do Programa Gaúcho para a Qualidade e Valorização da Erva-mate

O coordenador técnico do Programa Gaúcho para a Qualidade e Valorização da Erva-mate, engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Ilvandro Barreto, esteve em Catuípe, na última sexta-feira (07/06). Ele visitou uma propriedade rural, com 25 hectares de ervais, cultivados em sistema agroflorestal. Durante o encontro, foram discutidas estratégias para potencializar a produção e a venda da planta, cultivada pelo casal Maria Elisabete e Adonis Dei Ricardi.

Na propriedade, o técnico da Emater/RS-Ascar analisou o solo e vários outros aspectos relacionados às boas práticas agrícolas. Ele sugeriu à família Dei Ricardi que participe de uma das etapas do Programa, chamada de Diagnóstico e Monitoramento Nutricional dos Ervais no Rio Grande do Sul. Esse Diagnóstico é executado pela Emater/RS-Ascar em parceria com o Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária (DDPA), vinculado à secretaria estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).
“Foi ótimo”, resumiu o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Dejair Burtet, que também participou do encontro, juntamente com colegas, o assistente técnico regional de Organização Econômica Erni Breitenbach, e os técnicos da equipe municipal, Carlos Dalla Corte e Geraldo Kasper.

Sobre o Programa
Lançado em março de 2017, o Programa Gaúcho para a Qualidade e a Valorização da Erva-mate é coordenado pela secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e executado pela Emater/RS-Ascar. O objetivo do programa é organizar a cadeia produtiva da erva-mate, criando uma rede entre produtores, viveiristas, indústria, tarefeiros e entidades de ensino e pesquisa.

O foco, em todas as etapas da cadeia produtiva, é a qualidade. A partir desse critério, o Governo do Estado almeja aumentar a produção e a produtividade, melhorar a genética dos ervais gaúchos e ampliar a renda das 14 mil famílias que se dedicam à atividade no Rio Grande do Sul.

A tendência é ocorrer uma completa transição da fase extrativista para uma fase mais tecnificada, em que prevaleça a qualidade na produção, do campo até a indústria, tendo no horizonte a legislação e um mercado mais amplo e exigente quanto às boas práticas agrícolas e de fabricação.

Números
O Rio Grande do Sul é o maior produtor nacional de folha verde da erva-mate, com 302 mil toneladas produzidas ao ano. Juntos, os cinco polos ervateiros, Planalto/Missões, Alto Uruguai, Nordeste, Alto Taquari e Vale do Taquari, somam 36 mil hectares de área cultivada com ervais.
Aproximadamente 35 mil toneladas de erva-mate produzidas anualmente no Brasil, de um total de 619 mil toneladas de folha verde (IBGE – PAM 2017) são exportadas para 120 países.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar Regional de Ijuí
Jornalista Cleuza Noal Brutti 

Mais Lidas

Notícias Quentes

Vídeo