Novos Horizontes FM

Notícias/Rural


29/09/2017

Curso de Morango em Substrato forma primeira turma de agricultores em Teutônia

Curso de Morango em Substrato forma primeira turma de agricultores em Teutônia

Um grupo de produtores dos municípios de Doutor Ricardo, Progresso, São Vendelino, Montenegro, Fazenda Vilanova, Poço das Antas e Teutônia participou da primeira edição para agricultores do curso de Produção de Morango em Substrato – Sem Resíduos de Agrotóxicos. A capacitação ocorreu na terça e quarta-feira (26 e 27/09), no Centro de Formação de Agricultores de Teutônia (Certa), em Teutônia. As atividades, 90% delas práticas, foram ministradas por extensionistas da Emater/RS-Ascar, estando prevista uma segunda turma, com inscrições já encerradas, para os dias 10 e 11 de outubro.

Na ocasião, todo o ciclo do morango em substrato foi abordado, desde a implantação da estrutura produtiva, a colocação da bancada e o enchimento dos slabs, até chegar nas potencialidades de retorno econômico para a atividade. “No meio do caminho, assuntos como fisiologia das plantas, preparo de mudas, elaboração de soluções nutritivas, manejo da água e da fertirrigação, doenças e pragas do morangueiro, elaboração de caldas e colheita e pós-colheita foram trabalhadas”, destaca o assistente técnico regional em Sistema de Produção Vegetal da Emater/RS-Ascar, Lauro Bernardi.

Para o coordenador do Certa, Maicon Berwanger, o curso surge como uma oportunidade para suprir uma demanda que tem crescido nos últimos anos. “Recentemente houve uma ampliação de cerca de 40% das unidades de produção e de 20% de áreas de cultivo no Estado e sempre com demanda garantida, o que reforça o fato de o morango ter se mostrado como uma excelente alternativa para os agricultores”, salienta Berwanger. O fato de o curso ser totalmente focado na prática também se constitui, de acordo com o coordenador, em um diferencial. “Todo mundo aprende fazendo”, comenta.

Para a agricultora Ana Paola Fritzen, da localidade de Piedade, em São Vendelino, a capacitação foi importante por representar também um estímulo para a continuidade na atividade. Com 5,5 mil pés de morango, implantados no último mês de julho, na propriedade em que vive com os pais, a jovem já comercializa cerca de 80 quilos da fruta por semana, para amigos, vizinhos e colegas de trabalho na Prefeitura a uma média de R$ 12,00 o quilo. “O que é possível perceber é que há demanda por morango, tanto que já estou pensando em dobrar o número de pés cultivados”, anima-se.

A ideia, no futuro, é tornar o morango o principal produto da propriedade, que ainda se ocupa da atividade leiteira, prioritariamente. A ideia tem o aval da mãe, Mareci Fritzen, que também participou do curso. “É uma cultura que ela tá gostando e que a fará retornar para o campo para dedicação total à atividade”, celebra. Como o cultivo é livre de agroquímicos, Ana valorizou muito a parte do curso dedicada às estratégias de monitoramento e às armadilhas naturais para as pragas do morango. “É um aprendizado de tanta qualidade que a capacitação poderia até ser dividida em mais módulos”, observa.

A situação do jovem Acxel Piffer é um pouco diferente, já que ele recém está implantando as duas primeiras estufas, que contarão com três mil pés de morango. “Eu estava trabalhando na cidade (em Teutônia) e queria uma atividade que me possibilitasse ter mais qualidade de vida, renda e proximidade com amigos e família”, explica. Com conhecimento de causa, já que Acxel é formado no curso Técnico Agrícola do Colégio Teutônia, o produtor viu no morango uma excelente alternativa. “Em Progresso não há quem se dedique a esse cultivo, ou seja, certamente entregando um produto de qualidade, conseguirei colocação no mercado”, afirma.

O gerente regional da Emater/RS-Ascar da Lajeado, Marcelo Brandoli, que participou de parte das atividades, valorizou o curso e a parceria com o Colégio Teutônia e com o Certa. Ele salienta o pioneirismo da Emater/RS-Ascar nas ações voltadas ao cultivo do morango em substrato. “Esse é um campo que certamente poderá avançar também no Vale do Taquari, assim como já ocorreu no Vale do Caí, com municípios como Feliz e Bom Princípio, que hoje se constituem em referência na área”, afirmou. Para 2018 novas turmas deverão ser oferecidas para a qualificação.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald
tbald@emater.tche.br 

Mais Lidas

Notícias Quentes

Vídeo